Colonialismo, classe e nação na história do automobilismo angolano (1957-1975)

In: Lusotopie

Resumo

Este artigo propõe-se refletir sobre a relação entre o processo de ‘desportivização’ do automobilismo e as motivações que a elite local projetava sobre a modalidade, averiguando de que forma se coadunavam com a ideia da unidade do império. Procura-se explicar como os critérios sociais de entrada neste desporto foram evoluindo e como isso era revelador de rivalidades e dinâmicas económicas mais amplas que moviam os investidores a apostarem na modalidade para promover as suas marcas. A construção do Autódromo de Luanda e a internacionalização das ‘6 horas de Nova Lisboa’ ajudaram a popularizar a modalidade incentivando vínculos identitários locais que ora se articularam com os interesses do governo ora com interesses autonomistas de uma elite local.

  • AdairD. 1998, “Spectacles of Speed and Endurance: The Formative Years of Motor Racing in Europe”, in L. HoldenD. Thoms, and T. Claydon eds., The Motor Car and Popular Culture in the 20th CenturyAldershotAshgate: 120-134.

    • Search Google Scholar
    • Export Citation
  • BarbeitosA. 2011Angola-Portugal – representações de si e de outrem ou o jogo equívoco das identidadesLuandaEdições kilombelombe.

    • Search Google Scholar
    • Export Citation
  • Al AswanyA. 2016An Automobile Club in EgyptVintageReprint edition.

  • BarlowT. 1997Formations of Colonial Modernity in East AsiaDurhamDuke University Press.

  • BarthesR. 1991 [1957]MythologiesNew YorkThe Noonday Press.

  • BettencourtJ. 1965, “Subsídio para o Estudo Sociológico da População de Luanda”, Boletim do Instituto de Investigação Científica de Angola2 (1): 83-130.

    • Search Google Scholar
    • Export Citation
  • BittencourtM. and MeloV. 2016, “Esporte, economia e política: o automobilismo em Angola (1957-1975)”, Topoi17 (32): 196-222consultado em 15 setembro 2018. http://dx.doi.org/10.1590/2237-101X0173211ISSN 1518-3319.

    • Search Google Scholar
    • Export Citation
  • CallixtoV. 1972Viagem transafricana – Angola – Moçambique em automóveledição do autorLisboa.

  • CasteloC. 1998“O modo português de estar no mundo” – o luso-tropicalismo e a ideologia colonial portuguesa 1933-1961PortoAfrontamento.

    • Search Google Scholar
    • Export Citation
  • DineP. and ReyD. 2012, “Le football en Guerre d’Algérie”, Matériaux pour l’histoire de notre temps106: 27-32.

  • DinisA. 2001NICHA – Mário de Araújo CabralAlgésTalento edições.

  • DomingosN. 2015As linguagens do futebol em Moçambique. Colonialismo e cultura popularRio de Janeiro7 Letras.

  • EliasN. and DunningE. 1994 [1986]Sport et civilisation – la violence maîtriséeFayard.

  • Freudenthal, A. 2000, “Reflexões para um Projecto de História Oral”, in Dias, Jill R., & Cruz, R. Silva eds., Actas do Seminário Internacional sobre a História de Angola, Construindo o passado angolano: as fontes e a sua interpretação, 4-9 de agosto de 1997, Luanda-Lisboa: Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses.

  • GilroyP. 2001, “Driving While Black”, in D. Miller ed., Car culturesBerg Publishers: 81-104.

  • GuerraH. 1979Angola – Estrutura Económica e Classes sociais – os últimos anos do colonialismo português em AngolaEdições 70Lisboa.

    • Search Google Scholar
    • Export Citation
  • HavikP. J. 2009, “Motor cars and modernity: Pining for progress in Portuguese Guinea, 1915-1945”, in J. B. Gewaldet al.The speed of change: motor vehicles and people in Africa, 1890-2000Afrika-Studiecentrum series; 13, 2009.

    • Search Google Scholar
    • Export Citation
  • HenriquesI. C. 2000, “A Sociedade Colonial em África. Ideologias, hierarquias, quotidianos”, in F. Bethencourt e K. Chaudhuri eds., História da Expansão PortuguesaTemas e DebatesLisboaVol. 5: 216-274.

    • Search Google Scholar
    • Export Citation
  • MomG. 2014Atlantic Automobilism – emergence and persistence of the car 1895-1940Berghahn Books.

  • NascimentoW. S. 2015, “Das Ingombotas ao Bairro Operário: políticas metropolitanas, trânsitos e memórias no espaço urbano luandense (Angola, 1940-1960)”, Locus – Revista de História21 (1): 79-101.

    • Search Google Scholar
    • Export Citation
  • Neto, M. da C. 2003, “Nas malhas da rede: O impacto económico e social do transporte rodoviário na região do Huambo c. 1920-c. 1960”, International Symposium ‒ Angola on the Move: Transport Routes, Communication and History, Berlin, 24-26 September 2003, consultado em 15 setembro 2018. http://www.zmo.de/angola/papers/Neto_(26-01-2005).pdf.

  • PirieG. 2013, “Automobile organizations driving tourism in pre-independence Africa”, Journal of Tourism History5 (1): 73-91.

  • RosasF. 2018História a História – ÁfricaTinta da ChinaLisboa.

  • RossK. 1996Fast cars, clean bodies: Decolonization and the reordering of French cultureCambridge-LondonMIT Press.

  • SantosF. 2010F1: 50 anos em PortugalEdições CTTClube do Coleccionador dos Correios.

  • TorresA. 1983, “Pacto colonial e industrialização de Angola (anos 60-70)”, Análise Social, 1983, 19 (77/79): 1101-1119.

  • Van EedenJ. 2012, “Picturing the road: Automobility in selected South African postcards”, Communicatio38 (1), 84-102DOI: 10.1080/02500167.2011.627567.

    • Search Google Scholar
    • Export Citation
  • WheelerD. & PélissierR. 2016 [2009]História de Angola. LisboaTinta da China.

  • Angola: roteiro turístico, 1967?, António de Sousa. Arquivo ANIM – cinemateca portuguesa

  • Atualidades de Angola, nº121, 1970. Arquivo ANIM – cinemateca portuguesa

  • Atualidades de Angola, nº147, 1971. Arquivo ANIM – cinemateca portuguesa

  • Atualidades de Angola, nº152, 1971. Arquivo ANIM – cinemateca portuguesa

  • Atualidades de Angola, nº157, 1971. Arquivo ANIM – cinemateca portuguesa

  • Atualidades de Angola, nº158, 1971. Arquivo ANIM – cinemateca portuguesa

  • Atualidades de Angola, nº160, 1971. Arquivo ANIM – cinemateca portuguesa

  • Atualidades de Angola, nº164, 1971. Arquivo ANIM – cinemateca portuguesa

  • Atualidades de Angola, nº166, 1971. Arquivo ANIM – cinemateca portuguesa

  • Atualidades de Angola, nº178, 1972. Arquivo ANIM – cinemateca portuguesa

  • Horizonte Angolano, 1973, Roque, Elso e João Mendes. Produção da Direção Geral de Educação Permanente.

Content Metrics

All Time Past Year Past 30 Days
Abstract Views 261 206 19
Full Text Views 17 14 0
PDF Downloads 15 13 0